(11) 3831-5365   (11) 995982621
Atend. seg. a sex. das 9:00 as 17:30

Swell histórico no Brasil! Tudo que rolou e o equipamento certo para cada condição (parte 1)

Foto: christianzorg.com Foto: christianherzog.com

Todos os surfistas do Brasil devem ter acompanhado algumas fotos e vídeos que esse swell proporcionou e ainda está proporcionando. A direção desse swell (Leste/Sudeste), bom tamanho e período alto criou as condições para que algumas ondas acordassem e outras ondas ficassem mais turbinadas. Mas não foi tão simples encontrar ondas de qualidade em nosso litoral.

Muitas praias que costumam ter boas ondas ficaram passadas, outras praias não quebram legal com essa direção de swell, e em outras os ventos não foram favoráveis. Fizemos uma análise e selecionamos o que melhor rolou nesse swell, dividindo em 3 categorias: ondas normais que quebraram turbinadaslajes e ondas para big riders faixa preta, e ondas adormecidas que quebraram nesse swell!

Para cada categoria, vamos indicar os equipamentos mais adequados e os picos que funcionaram bem! Aproveite!

Categoria 1: Ondas normais que quebraram turbinadas:

São ondas que funcionam com swells menores, que podem funcionar com swells vindo de outras direções também, mas que aguentam essas ondulações maiores de leste e proporcionam altas ondas e adrenalina para quem se aventura. No auge do swell quebraram entre 1,5m a 3m.  Definitivamente não é o Surf do dia-a-dia e muitos surfistas vão completamente despreparados para essas condições e acabam não pegando as ondas e passando por perrengues desnecessários. Abaixo um pouco do equipamento correto e alguns picos que quebraram de gala.

Nível do surfista:

Experientes e prós.

Pranchas sugeridas:

Pranchas com boa remada para entrar mais facilmente na onda. Pode ser uma step up acima de 6´3, como: Rusty BlackBirdAl Merrick Proton Step up e Erick Arakawa RP se a intenção for pegar intermediárias e manobrar; ou uma Gunzeira – (acima de 6´10)  se a idéia for pegar as melhores da série, como: Erick Arakawa MR 200 e Tokoro BSG.

Leashs sugeridos:

Parece óbvio que o leash para essas condições deve ser uma das principais preocupações dos surfistas, mas muitas vezes não é assim que acontece e o surfista passa por maus bocados. Deve-se checar se o leash está em perfeito estado, e se é adequado para essas condições. A seguir alguns leashs que aconselhamos:

Dakine Big Wave
Dakine 7 pés x 5/16mm
Wet Dreams Force Two
Pro Lite 8 pés- 7mm
CT Wax Wave Pro
Creatures Pro 8 pés
Bullys Big Surf

Quilhas:

Pode parecer besteira mas nessas condições é fundamental que sua quilha seja de um material firme e com um tamanho maior que o que está acostumado. Recomendamos quilhas grandes, como:

FCSII- Peformance Core – JS grande
FCSII- Peformance Core – AM grande
FCSII- Neo Glass– Carver grande
FCSII- Peformance Core – Mick Fanning- grande
CT Wax – Carbon Core 7- grande
FCS Mick Fanning grande
FCS Simon Anderson grande

Picos que quebraram de gala:

Joaquina – Florianópolis:

A Joaquina sempre oferece altas ondas com swell de leste independente do tamanho. Não foi diferente durante esse swell. No auge do swell apenas Tow in e alguns poucos corajosos com pranchas acima dos 8 pés com ajuda do jet-ski porque chegar no outside era tarefa praticamente impossível. Por pouco ela não ficou na categoria “lajes e ondas para Big Riders faixa preta”, mas durante os outros dias do swell quebraram altas ondas por lá que fizeram a cabeça dos manezinhos mais atirados e habilidosos.


Ver essa foto no Instagram

Joaca hj de manhã 🎥 : @leandrodora071170

Uma publicação compartilhada por yAGO doRA (@yagodora) em

joaquina-swell

Arpoador RJ:

É uma das praias mais famosas do Brasil e talvez seja uma das ondas mais conhecidas quando o swell entra de leste. E por estar situado no canto da praia em um ângulo favorável, essa onda aguenta swells potentes como esse. Quebraram boas ondas nesse fim de semana no pico com o crowd e localismo bem característicos desse point.

Surfista: @marcelo.luccas foto: @barretoluiza Surfista: @marcelo.luccas foto: @barretoluiza

 

Astúrias – Galhetas-  Guarujá:

Quando entra um swell grande de leste, sobram poucas opções que não ficam storm no Guarujá, e uma delas com altas ondas é a Galhetas. Nesse swell não foi diferente, altas ondas e mesmo com crowd intenso, quem foi surfar essa onda não se arrependeu. Devido ao volume da onda, uma gun ou semi-gun ajuda bastante.

Surfista: Natan Brandi foto: Joyce Possato Fonte: waves.com.br Surfista: Natan Brandi foto: Joyce Possato Fonte: waves.com.br

Leme – Rio de Janeiro: 

uma excelente opção para quem foi atrás de ondas de responsa e mais cavadas nesse swell. Muito procurada por bodyboarders mas teve muito surfista fazendo a cabeça nas bombas do Leme durante esse swell.

foto: @paulopinheiroguimaraes foto: @paulopinheiroguimaraes

Praia da Vila – Saquarema:

Outro pico manjado de swell de leste, porém como não colocar a praia da Vila nessa lista? Altos tubos fizeram a cabeça de quem teve coragem e preparo para enfrentar esse mar super difícil e pesado! Claro que quando se tem Lucas Chumbo e Raoni Monteiro nas redondezas, o complicadíssimo parece fácil.

Queremos saber a sua opinião sobre esse swell. Você caiu aonde? Rolou altas ondas mesmo ou ficou decepcionado? Onde rolou épico e nós não comentamos aqui?

Se tiver fotos botando para baixo, não deixe de nos mandar!!

Aloha!
Caio Siqueira

Deixe uma resposta